Início » Artigos » Acidente Vascular Cerebral (AVC) » 10 Formas de Prevenir o AVC
10 formas de prevenir o AVC

10 Formas de Prevenir o AVC (fatores de risco para evitar)

O Acidente Vascular Cerebral (conhecido como derrame cerebral) é a segunda causa de morte e também de incapacidade no Brasil e no mundo. Até 90% dos casos podem ser prevenidos com medidas comportamentais e acompanhamento médico adequado. Nesse artigo, listo 10 fatores de risco modificáveis que foram estudados em uma população de mais de 26 mil pessoas em 32 países e foram relacionados ao AVC. Corrigir esses fatores de risco não só previne o AVC, como também nos leva a ter uma vida mais saudável.

Saiba tudo sobre AVC – o que é, causas, sintomas, fatores de risco, tratamento e sequelas

Vamos lá!

1

Tratar a hipertensão (pressão alta)

hipertensão (pressão alta) aumenta o risco de AVC

A pressão alta foi demonstrada como fator de risco responsável por 48% dos AVCs estudados. Hipertensão é fator de risco tanto para AVC isquêmico quanto para AVC hemorrágico, mas é ainda mais importante para esse último.

A hipertensão ou pressão alta é uma doença silenciosa. Muitas pessoas só descobrem quanto apresentam alguma complicação decorrente dela. O acompanhamento médico de rotina evita isso.

2

Parar de fumar

Embora o hábito de fumar esteja se tornando menos frequente, permanece como importante fator de risco para AVC. Nesse estudo, foi responsável por 15% dos AVCs isquêmicos.

Tabagismo também dificulta o controle da pressão alta, aumenta o risco de infarto do miocárdio, doenças pulmonares e câncer. Essas outras condições também podem contribuir para o AVC.

3

Perder peso

perder pese e controlar obesidade previne AVC

Obesidade, medida no estudo pela relação entre a circunferência da cintura e do quadril, foi responsável por 20% dos AVCs isquêmicos. Esse número é ainda maior na América do Norte e Europa Ocidental, onde chega a 38%.

A mudança de hábito alimentar do brasileiro e o aumento da obesidade causam preocupação por que trazem junto consigo o aumento do risco de várias doenças, além do AVC.

4

Manter dieta saudável

Dieta menos saudável foi associada a 23% dos AVCs e o risco se mostrou maior entre as mulheres. Além disso, a ingesta diária de frutas e vegetais é fator protetor para AVC, ou seja, diminui seu risco.

5

Fazer atividade física regular

Sedentarismo é fator de risco para AVC

O sedentarismo foi responsável por por 36% dos AVCs, sejam isquêmicos ou hemorrágicos. Além de prevenção do AVC e outras doenças cardiovasculares, como infarto, a prática regular de atividade física traz outros benefícios como melhor controle da pressão e do diabetes, previne demências, ajuda no controle das dores, incluindo dor de cabeça.

6

Não abusar do álcool

Alto consumo de álcool dobrou o risco de AVC na população do estudo e aumentou em 7 vezes o risco de AVC hemorrágico, a forma mais grave, entre os sulamericanos. 10% dos AVCs hemorrágicos e 4,6% dos isquêmicos foram atribuídos ao uso de álcool.

7

Controlar o colesterol

O colesterol alto, medido pela relação entre o colesterol LDL (chamado de “colesterol ruim”) e o HDL (colesterol bom), foi responsável por 34% dos casos de AVC isquêmico no estudo. Não há, no entanto, relação causal com o AVC hemorrágico.

8

Tratar o diabetes

Tratar e prevenir o diabetes previne o AVC

História de diabetes ou exame de glicemia alterado foi responsável por 7,5% dos casos de AVC isquêmico. Além disso, o diabetes mal controlado tem inúmeras outras consequências: aumento do risco de infarto, insuficiência renal, alteração visual (retinopatia diabética), dificuldade de cicatrização de feridas, dormência e dor nos pés e mãos, etc.

Como a pressão alta, o diabetes também é uma doença silenciosa que só pode ser descoberta precocemente com realização de exames. O acompanhamento médico deve incluir o rastreio de diabetes na maioria dos casos.

9

Evitar estresse

O estudo também avaliou fatores psicossociais e identificou que uma combinação de estresse da vida domiciliar e no trabalho, eventos estressantes e depressão aumentam o risco de AVC isquêmico e hemorrágico. 17% dos AVCs foram atribuídos a fatores psicossociais.

10

Fazer acompanhamento médico regular

Neurologista especialista em AVC e prevenção

Várias doenças, além da hipertensão e diabetes já citados, podem aumentar o risco de AVC. Entre elas, estão as doenças cardíacas e as estenose de carótidas. No estudo, doenças cardíacas foram responsáveis por 10% dos AVCs isquêmicos.


Essa lista é apenas uma referência dos principais fatores que aumentam o risco de AVC. Manter hábitos saudáveis e fazer acompanhamento médico regular diminuem o risco de AVC e outras doenças. Se você tem dúvidas de como cuidar da sua saúde, converse com seu médico.

Fonte: Lancet, 2016

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima