Início » Artigos » Aneurisma Cerebral » Como é o diagnóstico de um aneurisma cerebral?
diagnostico de aneurisma

Como é o diagnóstico de um aneurisma cerebral?

Nesse artigo, vamos falar sobre como é feito o diagnóstico de um aneurisma cerebral. Se você quer saber mais sobre o que é aneurisma, visite essa página. Vou deixar alguns outros artigos que podem te interessar no final do texto.

Na maior parte dos casos, os aneurismas não causam sintomas e por isso só podem ser diagnosticados se já existir uma suspeita, como por exemplo no caso de vários familiares com aneurisma ou de algumas doenças que aumentam muito a chance deles se formarem. Mas em algumas situações, quando já estão grandes ou em localizações mais delicadas, podem provocar dor de cabeça, alteração de visão ou déficits motores, por exemplo, e levar o médico a pedir exames para investigação.

No entanto, a forma mais comum de diagnosticar um aneurisma não roto (ou seja, que não rompeu e causou sangramento) é durante a investigação de um problema não relacionado. Por exemplo, um neurologista pode pedir uma ressonância para investigar um tremor e o exame mostrar que a pessoa tem um aneurisma na artéria carótida, que não causa o tremor. Chamamos isso de incidental, quando algo é descoberto por acaso.

Que tipo de exame diagnostica aneurisma?

Como o aneurisma é uma doença das artérias do cérebro, para visualiza-lo é preciso que seja um tipo de exame que estuda os vasos sanguíneos. Existem três modalidades principais que podem ser utilizadas: angiotomografia, angioressonância e angiografia/arteriografia cerebral.

Angiotomografia Cerebral
(angiotomografia do crânio, angioTC)

A angiotomografia é uma variante da tomografia com características específicas para estudar os vasos sanguíneos. A tomografia é um exame moderno que concentra a emissão de raios X para obter imagens da parte do corpo desejada. Os aparelhos são grandes e circulares, mas não é preciso entrar com o corpo todo dentro dele.

Para realizar a angiotomografia, é preciso utilizar contraste iodado, que é injetado por uma veia no braço e ao passar pelas artérias do cérebro, as realçam e permite que se tornem visíveis no raio X. O exame é feito em poucos minutos, não dói e oferece uma qualidade satisfatória para detecção de aneurismas e outra doenças dos vasos.

Angiorressonância
(angiografia por ressonância, angioRM)

Como a angiotomografia, a angiorresonância é uma técnica da ressonância magnética específica para ver os vasos. Diferente da tomografia, na ressonância não se utiliza radiação. Aqui, as imagens do corpo são obtidas por alterações magnéticas do elétrons.

No caso da investigação de aneurisma não é necessário uso de contraste, mas geralmente o exame completo com outras sequências para ver o cérebro pode precisar de contraste. Nesse caso, a substância usada é o gadolíneo, que também é muito seguro.

O exame é um pouco mais demorado que a angiotomografia mas a qualidade das imagens e a capacidade de detecção de aneurismas costuma ser muito boa. Por isso, a tendência atual é que a angiografia por ressonância seja o exame inicial de escolha na investigação de alguém com suspeita de aneurisma.

Angiografia Cerebral
(arteriografia cerebral)

Em medicina, chamamos de padrão-ouro o exame que é o melhor para o diagnóstico de alguma doença, com o qual todos os demais são comparados. No caso das doenças dos vasos, como o aneurisma cerebral, o padrão-ouro é a angiografia cerebral.

A angiografia cerebral é realizada pelo médico neurorradiologista intervencionista. É feita através de uma pequena punção na artéria femoral, na região da virilha, ou na artéria radial, no pulso, tudo sob anestesia local. Com ajuda de cateteres que são inseridos pelo local da punção, o intervencionista avalia as artérias de interesse e é capaz de obter imagens específicas em vários ângulos diferentes para entender toda a anatomia da doença estudada.

Por ser um exame mais complexo, geralmente é indicado após já se ter o diagnóstico do aneurisma por uma das técnicas anteriores. Nesse caso, tem a função de oferecer mais informações para ajudar na decisão de tratamento. Também é via pela qual pode ser feito próprio tratamento: a embolização do aneurisma.

Aneurismas Rotos

No caso de aneurismas que sofreram ruptura e causaram hemorragia subaracnoide, que é um tipo de AVC, a suspeita já é feita pela história clínica e pela primeira tomografia, sem contraste, que mostra o sangramento característico. Após identificar que a hemorragia cerebral foi provavelmente por um aneurisma roto é preciso encontrar esse aneurisma. Nessas situações, as opções são angiotomografia e angiografia cerebral, sendo que esta última tem a vantagem de oferecer mais detalhes e já permitir o tratamento imediato na sequência.

Aneurisma rotos e hemorragia subaracnoide são melhor discutidos em outros artigos.

Conclusão

Os aneurismas cerebrais podem ser diagnosticados por acaso ou quando já sem alguma suspeita da sua existência. A angiotomografia e angiorressonância são os exames iniciais mais indicados na maioria dos casos. O melhor exame, chamado de padrão-ouro, é a angiografia cerebral, que geralmente é reservada para entender melhor a anatomia do aneurisma e definir seu tratamento.

Se você ficou com alguma dúvida, deixe nos comentários. Você também pode entrar em contato ou agendar sua consulta aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima